domingo, 16 de dezembro de 2012

Não gosto de amigo oculto

 
 
Eu  não gosto de  amigo oculto, mas não  conseguia  definir o motivo, aí resolvo 'Carpinejar' e  leio essa  explicação tão  natural .
 
"Amigo Secreto merecia se chamar de Sofrimento Secreto.
 
Não tem como se divertir numa brincadeira onde seu principal desafeto pode lhe dar um presente. Ou você pode estar nas mãos do sujeito mais pão-duro do serviço. Como ficar à vontade se tirou o nome do seu chefe?
Nunca vi ninguém pulando de alegria, vibrando por participar da confraternização.
Amigo Secreto é uma praga do Natal, que saiu das empresas para estragar a ceia das famílias.
Amigo Secreto é trocar o presente espontâneo por um brinde. É trocar a loja pelo camelô.
Amigo Secreto é ir a um rodízio de pizza para comer somente uma fatia.
A pior coisa do Amigo Secreto é quem faz suspense demais. Procura competir com Fidel Castro.
A pior coisa do Amigo Secreto é também quem não faz suspense nenhum. Preguiçoso e sem vontade.
Todos erram as características na hora do anúncio. É um festival de constrangimentos.
Amigo Secreto dá chance para os tarados cantarem suas colegas. Oficializa o assédio sexual.
A Lei de Murphy criou o Amigo Secreto. A lembrança que você recebe consegue ser muito menor do que o limite estabelecido. Você sempre será prejudicado. Terminará com um CD muquirana ou um pacote de meias.
Amigo Secreto é uma reunião de condomínio procurando ser Orçamento Participativo.
Amigo Secreto é uma rifa sonhando ser Mega Sena.
Amigo Secreto é fingir que você é feliz no trabalho."
 
O que mais me irrita no amigo oculto é a justificativa:'todos ganham um presente'. Ora,  eu dou presente pra quem eu quero.  Em família então  eu acho pior,   corre o risco de sair  com o parente mala  e ter  que achar  qualidades  para  definí-lo  e ser agradável, afinal é noite de Natal ...Portanto meu desejo é que os amigos  sejam  verdadeiros,   de  afinidade, de coração, de alma ... que  não se  explica, se  sente ! ...  e que uma abraço acolhedor   será melhor que uma  embalagem. Que  eu pare um tempinho  do meu dia para escrever um cartão que sirva somente para  meu amigo e recordar o bem  que ele me faz... e tentar  dizer o tanto   que  ele é especial na minha vida!
 
 
 
 
 
 
 
 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Elton Jonh

Depois de confirmar três shows em São Paulo, Porto Alegre e Brasília em 2013, Elton John também virá para a capital mineira.

O britânico se apresentará em Belo Horizonte no dia 9 de março, no Mineirão. Esta será a primeira apresentação ao vivo no estádio depois de sua longa reforma.

A produtora responsável pela vinda do Rocket Man à capital é a Malab, que em breve divulgará detalhes sobre preços de ingressos e pontos de venda para o show.

No dia 27 de fevereiro ele se apresenta no Jockey Club de São Paulo; no dia 5 de março no estádio Zequinha em Porto Alegre e encerra a mini turnê no dia 8 de março no Centro de Convenções Internacional de Brasília.

A partir deste sábado, 8 de dezembro, os ingressos serão vendidos para os shows da capital paulista e Brasília, e a partir de segunda-feira, dia 10, para Porto Alegre. Os fãs podem comprar as entradas pelo site livepass.com.br (SP e Porto Alegre) e www.ingressorapido.com.br (Brasília).

Os preços dos ingressos variam de R$ 180 a R$ 1 mil (inteira) para o show que celebra mais de 40 anos de carreira do premiado músico, o "40th anniversary of the Rocket Man".

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Vontade de viver...

Procurando  respostas ... questionando tanto  , querendo explicação, encontro essa crônica no Livro 'Dóidas e Santas'  de Martha Medeiros que  ganhei da minha irmã Ciça.



A Pior Vontade de Viver



Todos são tão compreensivos, aceitam tão bem suas escolhas, torcem por tudo o que você faz, não é mesmo?Desde que você faça o que está no script. Que siga o que foi determinado no roteiro, aquele  que foi escrito sabe-se lá por quem e homologado no instante mesmo em que você nasceu.Mas  e quem não quiser seguir esse script?

Encontrei no conto Amor, do livro Laços de Família de Clarice Lispector, uma de minhas frases prediletas.Assim ela  descreve o sentimento da personagem Ana:"Seu coração enchera-se com a pior vontade de viver".

Ela é complexa, angustiante, subjetiva e intensa. Ela,  a pior vontade de viver. A que não está disposta a negociar com a vontade dos outros.

No entanto, essa que foi chamada de a "pior" vontade pode ser também uma vontade genuína e inocente. É  a vontade da criança que ainda levamos dentro, entranhada. É o desejo de açúcar, de traquinagem, de fazer algo escondido, de  quebrar algumas regras, de imitar os adultos. A "pior" vontade é curiosa, quer observar pelo buraco da fechadura e depois, mais ousadamente,  abrir a porta e entrar no quarto proibido. A "pior" vontade é a de não se enraizar, não assinar contrato de exclusividade, não firmar  compromisso, não render-se às vontades fixas, apenas às vontades momentâneas,porque as fixas correm o risco de deixar de serem vontade para se transformarem em vaidade - como se sabe, há sempre aqueles que se envaidecem da própria persistência.

A "pior" vontade não quer ganhar medalha de honra ao mérito, não quer posar para fotografias, não quer completar bodas de ouro nem ser jubilada. A "pior" vontade não faz  a menor questão de ser percebida, ela quer  ser realizada. É quando você sabe que não deveria, mas vai. Sabe que não será fácil, mas enfrenta. Sabe que tomarão como agressão, mas arrisca. Aqui, cabe lembrar: apenas se  sentem agredidos aqueles que te invejam.

A vontade oficial,a vontade santinha, a que não causa incômodo é a outra, a aprovada pela sociedade, a que não leva em conta o que vai no seu íntimo, e sim a opinião pública. É a vontade que todos nós, de certa forma, temos de mostrar para os outros que somos felizes, sem saber que para conseguir isso é preciso, antes, ter a "pior" vontade, aquela que faz você descobrir que ser feliz é ter consciência do efêmero, é  saber-se capaz de agarrar o instante, é lidar bem com o que não é definitivo - ou seja,tudo.

É com essa "pior" vontade de viver que você atrai os outros, que seu magnetismo cresce, que seu rosto rejuvenesce e que você fica mais  interessante. É uma pena  que nem todos tenham a sorte de deixar vir à tona esta  que Clarice Lispector chamou de a pior  vontade  de viver, que secretamente, é a melhor.
                                                              Martha Medeiros



 

domingo, 25 de novembro de 2012

Espero que você encontre...


O texto  que  vou indicar  abaixo  é de Fabríco Carpinejar. Amo a  leveza da sua  escrita   , a  sutileza  com  que  ele  trabalha as palavras  e o poder que  tem  de equilibrar  romantismo com a realidade.

Serra da Piedade - Set/2012

Venha, por favor.
 
 
 
 
Eu espero alguém que não desista de mim mesmo quando já não tem interesse. Espero alguém que não me torture com promessas de envelhecer comigo, que realmente envelheça comigo. Espero alguém que se orgulhe do que escrevo, que me faça ser mais amigo dos meus amigos e mais irmão dos meus irmãos. Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. Espero alguém que se arrependa rápido de suas grosserias e me perdoe sem querer. Espero alguém que me avise que estou repetindo a roupa na semana. Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. Espero alguém que goste de dirigir para nos revezarmos em longas viagens. Espero alguém disposto a conferir se a porta está fechada e o café desligado, se meu rosto está aborrecido ou esperançoso. Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. Espero alguém que possa criar toda uma linguagem cifrada para que ninguém nos recrimine. Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. Espero alguém que não largue as mãos dadas nem para coçar o rosto. Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. Espero alguém que minta que cozinha e só diga a verdade depois que comi. Espero alguém que leia uma notícia, veja que haverá um show de minha banda predileta, e corra para me adiantar por e-mail. Espero alguém que ame meus filhos como se estivesse reencontrando minha infância e adolescência fora de mim. Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar, que não precise me chamar para amar. Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. Espero alguém que tenha uma risada tão bonita que terei sempre vontade de ser engraçado. Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. Espero alguém que prepare minha festa de aniversário em segredo e crie conspiração dos amigos para me ajudar. Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas. Espero alguém que me ensine a me amar porque a separação apenas vem me ensinando a me destruir. Espero alguém que tenha pressa de mim, eternidade de mim, que chegue logo, que apareça hoje, que largue o casaco no sofá e não seja educado a ponto de estendê-lo no cabide. Espero encontrar uma mulher que me torne novamente necessário.
 




Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 18/09/2012
Porto Alegre (RS), Edição N° 17196


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Valeu conhecer o Pirulla!

Nem tudo está perdido, depois de ler o babaca  texto do Guzzo,  tive a oportunidade de descobrir  esse  belíssimo video explicativo do Pirulla .
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Virgindade

Quanto vale a nossa virgindade ?

Por maior que seja o espaço que conquistemos na sociedade ano após ano, e ainda que sigamos incansáveis na luta por mais autonomia, vez ou outra uma notícia – e sua repercussão junto ao nosso ciclo de conhecidos – nos faz lembrar que ainda vivemos na idade média quando o assunto é o corpo da mulher e, mais especificamente, sua sexualidade.No mês de outubro, o assunto voltou à tona em torno da brasileira Carolina Migliorini, de 20 anos, que levou sua virgindade a um leilão. A iniciativa integra a produção de um documentário sobre a virgindade e teve o lance final realizado por um japonês, que pagará R$1,5 milhão pela “primeira noite” da garota.

Não faltaram, pois, julgamentos à conduta de Carolina – como se não coubesse ao indivíduo escolher o que fazer com o próprio corpo, com os próprios buracos, sejam eles financeiros, afetivos ou sexuais. De qualquer forma, se no campo da sexualidade temos que nos deparar com toda sorte de tabus e moralismos, quando o que está em questão é a sexualidade feminina o terreno é ainda mais tortuoso. Tanto é que um jovem russo que também participou do projeto e também teve sua virgindade levada a leilão, não mereceu tanta atenção, nem tantas ofertas. Nem tantos ataques. Moralismo por moralismo, as mulheres sempre pagam mais caro.

Se o fato de uma garota colocar à venda sua primeira experiência sexual é capaz de despertar a ira de uns tantos preocupados com a vida alheia, ora, por que ninguém condena o sujeito disposto a pagar R$1,5 milhão para ‘dormir’ com a jovem? Não estamos falando de um mesmo ato? Por que apenas ela teria a reputação manchada nesse episódio?

Sequer precisamos falar desse polêmico leilão para constatar o quanto, apesar de toda luta pela emancipação feminina, o valor (ou a pureza, ou a honra, ou o caráter) de uma mulher ainda parece estar atrelado à sua experiência sexual. Inexperiência, melhor dizendo: quanto mais inexperiente, melhor. Os exemplos proliferam ao nosso lado: eu mesma fui educada para me preservar virgem para o casamento – e isso, suponho, a contra gosto da minha própria mãe que, no fim das contas, nunca me censurou de fato por não ter feito valer essa premissa da tradicional família mineira. Mas é preciso salvaguardar a imagem de nossas netas, de nossas filhas: afinal, o que vão pensar?

É provável que no meu e no seu círculo social pareçam cada vez mais raros os exemplos de famílias que ainda valorizem a virgindade de uma mulher, e de homens que ainda façam questão de se casar com uma garota virgem. Mas vez ou outra o assunto volta à tona, para nos fazer lembrar que ainda estamos muito atrasados na empreitada de fazer valer a autonomia sexual da mulher. Mais cedo ou mais tarde, aquele seu amigo descolado da faculdade vai deixar escapar um comentário que vai te fazer ter vergonha de ter convivido com ele tanto tempo sem perceber o quão babaca ele poderia ser. São instantes que nos fazem pensar que não importa o quanto você se esforce para ser competente no que faz ou para conduzir suas escolhas com honestidade e respeitando os que te cercam: no fim das contas, o que você faz – e sobretudo o que você não faz – com a sua vagina parece dizer mais sobre sua integridade, sobre o seu “valor”.

O tipo de pensamento que nos faz patrulhar a virgindade de uma garota que decide vender sua primeira experiência sexual é, em sua origem, o mesmo tipo de moral que faz com que coronéis, vereadores, comerciantes e militares estuprem garotas de 10, 12 anos no Norte (e em tantos outros becos) do país.

Se no caso de Carolina temos uma mulher maior de idade valendo-se de um arcabouço moral ultrapassado para transformar sua virgindade em dinheiro, no caso das índias do Amazonas temos relatos claros de exploração sexual de menores, que trocam sua iniciação sexual por ameaças e chocolates. Notemos que, aqui, não se trata apenas da manutenção de relações sexuais com crianças e adolescentes, mas do mercado da virgindade, mantido por homens “de família”, muitos deles “honestos”, trabalhadores e casados. “Homens de bem” – ao contrário do que, aos olhos de muitos, passaram a ser essas garotas não mais inocentes.

Enquanto o exercício da sexualidade se perpetuar como um exercício do poder – em detrimento de ser nada mais que o exercício do prazer –, continuaremos a nos alarmar com garotas que trocam sua primeira noite por dinheiro, e seremos, de certa forma, cúmplices de homens que “só querem fazer valer o instinto” de desvirginar uma criança.

** Débora Viera é atriz, feminista e vadia. Escreve no BHAZ às segundas-feiras.

 

 

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Quatro Casamentos e Um Funeral

 

Amo esse filme , principalmente  a parte do  funeral, nunca vi um poema de amor tão bem narrado e expressivo!

domingo, 28 de outubro de 2012

Como Lewandowsk​i julgaria Hitler

"Senhores, não existem filmes, fotos, nem testemunhas de Hitler abrindo registro de gás em campos de concentração, nem apertando o botão de uma Bomba V2 apontada para Londres, pilotando um caça Stuka, dirigindo um tanque Panzer, disparando um torpedo de um submarino classe U-Boat sob seu comando a navegar no Atlântico ou mesmo demonstrando habilidades no manuseio de um canhão antiaéreo Krupp, manipulando uma metralhadora MP40, uma pistola Walther P-38 ou simplesmente dirigindo um jipe Mercedez Benz acompanhado do general Von Rommel pelos desertos do norte da África.
Por isso, parece claro que não existe nada a incriminá-lo. Com certeza, ele não sabia de nada. Não via nada. A oposição diz que foram queimados documentos incriminatórios importantes, mas nada, absolutamente nada foi comprovado, apenas evidenciou-se a existência de cinzas e destroços por todos lados que somente foram trazidos com a chegada dos americanos e russos que não fazem parte da peça de acusação do processo entregue pelo "Parquet"; o Sr. Procurador.
Afinal, ele seria apenas um Chanceler e presidente do Partido Nazista; ou seja, ele não passava de um mequetrefe. Jamais foi pego, ou mesmo visto transportando armamentos debaixo dos braços (tipo pão francês) ou carregando pacotes de dinheiro nas cuecas.
Alguns relatos que citavam seu nome eram meros registros de co-réus, como alguns membros da Gestapo, os quais, por conseguinte, carentes de confiabilidade. Outros relatos são de inimigos figadais - os denominados "Países Aliados" e assim longe de merecerem qualquer relevância para serem tomadas como fundamentos de acusação.
Alguns o acusam de ter invadido Paris e desfilado sob o Arco do Triunfo. Esta é mais uma acusação inventiva dos opositores. Ele apenas foi visitar seu cordial amigo o General De Gaulle que infelizmente havia viajado para o sul da França. Ele então, teria apenas aproveitado a sua viagem para passear e fazer compras na Avenue de Champs Elysées com seus amigos. Qualquer outra conclusão é mera ilação ou meras conjecturas que atentam a qualquer inteligência mediana. Por aí vemos que nada contribui para a veracidade das acusações.
Não afasto a possibilidade dele ser o suposto mentor intelectual, mas nada, repito, nada consubstancia essa hipótese nos autos. E olha que procurei em mais de 1 milhão e 700 mil páginas em 10.879 pastas do processo.
E não podemos esquecer que ele foi vítima de diversos atentados que desejavam sua morte, articulados pela mídia e pelas potentes e inconformadas forças conservadoras. Seus ministros como Goebels, Himmler, Rudolf Hess e outros também nada sabiam. Eram coadjuvantes do NADA; sem nenhuma responsabilidade de "facto".
O holocausto, em que pessoas de diversas raças e etnias, talvez tenham tido um suicídio coletivo ao estilo do provocado há anos na Guiana pelo pastor americano Jim Jones em 1978. É, ainda hoje, um tema controverso. Assim trago aos pares, como contraponto, a tese defendida pelo filósofo muçulmano Ahmadinejah que garante a inexistência de tal desgraça da humanidade.

Assim - já estou me dirigindo para encerrar meu voto, Sr. Presidente - afirmando acreditar que todos eles foram usados, trapaceados por algum aloprado tesoureiro de um banco alemão que controlava financeiramente a tudo e a todos; especialmente os projetos políticos e as doação corruptivas. E tudo em nome da realização de um plano maquiavélico individual de domínio total que concebeu e monitorava do porão da sua pequenina casa nos Alpes.

"Enfim, depois de exaustivas e minuciosas vistas nos autos, especialmente nos finais de semana, trago aos pares novos dados que peço ao meu colaborador Adolfo para distribuir a todos. Depois desta minha "assentada" declaro a improcedência da ação, inocentando por completo o réu por falta de provas. É como voto, Sr. Presidente."

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Para refletir...

"Todos estranhamos o que não é igual  a nós.Como lidamos  com isso é que faz toda a diferença..."

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Gente inteligente...

Achei uma delícia  essa leitura que o professor  Jacyntho Brandão fez sobre a  prefeitura atual de BH. Vale a pena ver!

sábado, 18 de agosto de 2012

Comunicado

  Prezados  leitores,   informo que  meu  email definitivo agora é  cresende.resende@gmail.com  o carmemresende@hotmail.com foi excluído, deletado , clonado, roubado.... só sei que  tem dois meses  que não consigo recuperá-lo  e peço ajuda ao servidor (microsoft)  e eles pedem  o número do meu cartão de crédito achei um absurdo...


Qualquer contato, estou  : " cresende.resende@gmail.com"

Obrigada!

Saudosismo




Ainda leio Jane Austen e Beatrix Potter....

terça-feira, 10 de julho de 2012

Sinais de DEUS...

Assistindo ao Jornal Nacional , fiquei comovida  ao ver , ouvir e depois  ler na internet sobre  uma pomba  que pousou no caixão de Dom Eugênio. Fica pra mim a mensagem:A paz continua, desarmem, o mundo necessita de  calma... Ou a morte não é o fim! Quem me conhece sabe  que eu tenho DEUS, mas não sou de religião, gosto de observar  e  sentir  que  alguém (anjo) ou DEUS está  me mandando um sinal e dizendo  que  boas energias  e solidariedade é o combustível para esse mundo.  Se alguém puder me explique essa pomba ou decifre  a figura  abaixo :


Eu espero dias melhores !!!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

terça-feira, 17 de abril de 2012

Inocência

Uma  vez  escutei de um grande amigo e inspetor a seguinte frase " Quem anda armado  ou é polícia ou é ladrão" aí concluí: "Ou vai matar ou vai morrer" . Hoje , achei essa foto na internet e me emocionei ... ser criança é ser puro , é  fazer o que vem a cabeça ,  independente do momento político , da classe social , do lado que  estamos  . É só fazer "xixi" "desarmar"  e voltar a viver !!!

Fica a dica ...

domingo, 15 de abril de 2012

sábado, 24 de março de 2012

É por aíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

" Ame a todos. Confie em poucos. Não faça mal a ninguém. "


                                                                   Willian  Shakespeare

sábado, 17 de março de 2012

Ainda bem ...

Quem me conhece  sabe  que eu amo  essa voz doce da Mariza Monte  . No Carnaval   agora, eu cantava essa música para minha amiga  Miriam e ela achava a maior graça , eu dizia : " Só essa música vale a novela "  Ainda bem ...

domingo, 15 de janeiro de 2012

travesseiro ..

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh tem coisas que quando você vive , não se acredita ... Hoje,  no buteco com meus amigos , passa um vendedor de  travesseiros e  eles compram um travesseiro  pra     mim  . DEUS  me ajude a decifrar essa metáfora !!!!!!!!!!!!!!!!!!! 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

domingo, 8 de janeiro de 2012

Tire suas próprias conclusões




Meu amigo Vinícius,  depois de "noites" de conversa me manda uma mensagem  orientando-me a assistir o link acima  indicado . Como curiosa que sou  fui  imediatamente assistir .
Não  conhecia  até o momento  "Adorável Psicose"  no Multishow mas  confesso que dei  boas , mas boas risadas mesmo...

O bom da vida é quando começamos a rir da nossa história ....

Portanto amigos , segue a sugestão , me indentifiquei em vários momentos  e estou aberta a perguntas e questionamentos de vocês !!!